quarta-feira, 25 de julho de 2007

13. Cintilografia - Parte II

Que loucura: chegando no hospital fui convidado a ir pra uma salinha me deitar numa mesa. Como no exame de ontem, plugaram um cateter no meu braço. Depois, uma série de sensores no peito. (uns tipos de eletrodos que medem o batimento).

A enfermeira explicou que ia injetar uma substância que aumentaria o batimento cardíaco, que eu me sentiria um pouco mal, talvez cansado. Beleza! Lá vamos nós! Começou com meu braço, que estranhamente começou a ficar gelado! Eu até comentei com ela pra ver se era normal. Pra variar, SIM. Depois, comecei a respirar fundo e sinceramente, parecia que eu estava correndo uma maratona - deitado numa cama. Foi a sensação mais estranha que eu já tive. Quanto mais parado eu ficava, mais cansado! Crédo!

Eu perguntei, já com as mãos suadas e meio ofegante, quando que essa sensação ia parar, no que a moça diz:
"Logo que eu injetar a substância que anula o efeito desse primeiro remédio, daqui a uns 2 minutos".

Quando ela colocou, foi alívio imediato! Em questão de 10 segundos, eu estava ótimo em folha novamente! Muito louco! Ela informou que colocou mais uma dose de tecnécio radioativo pra fazer o mesmo processo que ontem.

Pra fechar os exames com chave de ouro: Ao terminar, uma outra enfermeira bem magrinha começou a conversar comigo se esses exames eram pra cirurgia bariátrica, etc. Até que ela disse: "Sim, eu também passei por tudo isso! Eu fiz a cirurgia um ano e meio atrás".

O que ??? Não acreditei! Caramba! Carambolas! Ninguém diria que a moça algum dia foi gorda! Impossível de detectar!

Um comentário:

Futura PP disse...

Caramba Tony! Que maratona de exames! E cada um mais esquisito que o outro! Cruz credo!

Legal vc ter conhecido essa enfermeira que já fez a cirurgia. E pensar que daqui a um ano vc estará como ela... Muito legal né!

Bjins